domingo, janeiro 13, 2008

Um Poeta do Poesis



espreito

e olho o rio

há uma ponte

que me chama

para a outra margem.


dentro do meu peito

sinto um vazio

ao olhar para além monte

a saudadepor mim clama

como uma miragem.



in o sorriso de deus


de Eduardo Roseira

2 comentários:

Fernando Peixoto disse...

Eis que passei por aqui e logo encontrei o Roseira. Temos de preservar «este GAJO» e não o deixar andar por aí...
A Poesia está ali adiante, ao virar da esquina, à espera dele e...de vocês...
Um abraço
Fernando Peixoto

joaquim disse...

Não podia estar mais de acordo, não não!