domingo, abril 19, 2009






" Pertenço já tão pouco ao meu

corpo que nem sequer

beijei quem me entregava a boca."




Eugénio de Andrade, in o Ritmo Surdo

2 comentários:

Brancamar disse...

Sempre genial, Eugénio!
Os sentimentos no silêncio das palavras!
Abraço

joaquim paulo silva disse...

Em pleno acordo, ebraça os silêncio com as palavras transformadas em sentimentos.