sábado, outubro 04, 2008

Um óbito para sempre: FERNANDO PEIXOTO *25 de Julho de 1947 +03 de Outubro de 2008


A morte é o destino de todos nós, a transição, mas há algumas que nos marcam para sempre:

A do Meu Amigo Fernando Peixoto é uma dessas, com ele se foi um resrvatório inigualável de cultura total, solidariedade, amor, humanismo. Poeta, Historiador, Teatrologo, Escritor, Professor, Político, Preso Político, tudo ou muito pouco se pode dizer em palavras, mas muito em admiração, o meu pleito aqui fica:


2 comentários:

Tranquilidadej disse...

Fernando Peixoto morreu...
Não queria acreditar.Mas o Fernando partiu, sem dizer adeus.
Há 45 anos que conhecia o Fernando. As suas qualidades, os seus defeitos, como os de todos nós. A sua poesia, ainda guardo, desde os bancos da escola..Divergências politicas, ditaram o nosso afastamento. Disparate, pois quando a amizade une alguém, não pode de forma alguma dissipar-se.
Partiu o homem o poeta...e para muitos o amigo.
Embora não acredites, na vida para além da morte, continua a tua poesia!!
Aos teus dois filhos, aos teus netos e tua esposa, os meus sentidos pesamos.
--

Anónimo disse...

Quando


Quando o vento surge
e nos abala
remexe mas não cala...
Quando te olho
e te vejo
te ouço e escuto...
Quando te leio
e me enleio
e nos sinto...
Quando me altero
e acalmo
me movo e protesto
e por fim desespero
como um salmo...
Quando me perco
e me acho
e me encontro
em nós...
Quando as palavras se perdem
e nos sulcam a voz
Quando a tristeza se instala
e na alegria se funde
se inala e nos confunde...
Quando te sinto em mim
mesmo na distância assente
nessa ausência presente...
simplesmente, assim

Por tudo e...por muito mais
Obrigado, meu PAI...

Fernando Peixoto (filho)